segunda-feira, 10 de outubro de 2016

MEIO FIO (I Ensaio Aberto da D.E. de Mogi das Cruzes)

Participar do I Ensaio Aberto da Diretoria de Mogi das Cruzes, foi uma oportunidade importante para avaliarmos nossos trabalho e, assim refletir sobre erros e acertos na concepção do texto. 
Um trabalho cênico consiste no estudo não só da obra, como também na formação do personagem e interação destes com a platéia.
Essa experiência colaborou para o amadurecimento dos alunos/atores e isso foi fundamental para o andamento do processo.

Momentos que antecedem a apresentação: maquiagem, aquecimento e últimas marcações no palco que muitos ainda não tinha pisado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Muito obrigada a Diretoria de Ensino pela oportunidade de poder aprimorar nosso trabalho e interagir com as outras escolas participantes.


quarta-feira, 14 de setembro de 2016

UNICÓRNIO AZUL (Ensaio Aberto na Sala de Espelho)

O texto fala sobre a experiência da perda da mãe por Isabel, uma menina criada no circo com os personagens circenses como família. Quanto menos espera tem uma lição de amizade e amor ensinada por um ser mágico: o Unicórnio Azul.
Um texto de Celso Manocchio, Gilberto Paulo e Erika Capella.

OS PREPARATIVOS...NERVOSO E ANSIEDADE. 
 
 
 
 
 
 
 
  







UM PRIMEIRO PASSO PARA UMA LONGA CAVALGADA.
Uma peça que irá lhe cobrir de magia.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

MEIO FIO (Ensaio Aberto na Sala de Espelho)

Este texto de MARCELO RUBENS PAIVA, denso e muito marcante em seu limite e risco descreve duas camadas sociais, dois mundos e formas de viver aparentemente opostas que se cruzam e revelam algo muito maior do que suas dicotomias. As moças de classe alta, Ruth e Ercília, e os foragidos bandidos, Alencar e Barros, desnudam seus medos, angústias, frustrações e esperanças num encontro-limite.


Com este ensaio iniciamos os trabalhos do texto adulto, e que venham mais apresentações e trocas de experiências com a platéia.


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Festival de Verão

Um dia mágico que começou no Parque Centenário com um ensaio para o chamado da TV Diário, um almoço que mais era uma grande confraternização de preparação, uma apresentação embalada de muito sentimento e um jantar delicioso para fechar o dia.
O texto A EXCEÇÃO E A REGRA rendeu momentos de muitas reflexões sociais, políticas e culturais.
Além de ser um estreito laço de homenagens aos 50 anos do TEM (Teatro Experimental Mogiano),
essa apresentação no Festival de Verão de nossa cidade, foi um belo fechamento dos trabalhos do texto de Bertolt Brecht, um debate sobre a questão da luta de classes, permeado de um aprendizado diário.
Agradecemos a todos os envolvidos neste trabalho que fez história no Núcleo de Cultura TWL-Ousadia.


 



  





Saudades....